domingo, 10 de abril de 2011

Pelas crianças de Realengo



Não tem volta, não tem explicação, não tem conformismo.
Não tem sorriso e nem barulho de crianças no recreio.
Só tem sonhos e famílias destruídas.
Só tem aperto no coração.
Principalmente para quem é educador e trabalha com crianças.
Inexplicável, inaceitável.