terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Partes do planejamento

Todas as vezes que falamos de planejamento, supomos que planejaremos um "percurso", ou seja, sairemos de um lugar para chegar em outro, ou seja, temos um objetivo, certo?

O planejamento pode ser a curto prazo (4 aulas, por ex) ou a longo prazo (1 ano) ou ainda de acordo com a necessidade do Educador. Por exemplo, se você vai ministrar uma oficina durante 4 meses, faça seu planejamento de acordo com o tempo que você tem e subdivida os 4 meses em planos menores, se houver necessidade. 

Eu, particularmente prefiro o planejamento semestral (6 meses), pois acho mais flexível. Penso que UM ANO é muita coisa e o planejamento tem que ser algo flexível, que a gente possa mudar ou adaptar no meio do percurso. O planejamento semestral, pra mim, é o ideal, porque podemos subdividi-lo de 3 em 3 meses, e isso dispensa a necessidade de um planejamento mensal. Considerando que o aluno tenha uma aula por semana dá uma média de 4/5 aulas por mês, e pra mim, é um espaço muito curto para "aparecer resultados", principalmente com crianças muito pequenas.

Prefiro chamar o planejamento de uma só aula de Plano de Aula e o planejamento de um processo de Plano de Ensino.

As partes principais de um planejamento são:

1- Objetivo (o que o aluno deve ser capaz de fazer/identificar/tocar ao final desse mês/bimestre/semestre/ano?)

2- Conteúdo (o que vai ser abordado? Notas musicais? Figuras rítmicas? Acordes? Intensidade? Altura?)

3- Estratégias e Procedimentos (como eu vou fazer o aluno aprender? Através de instrumentos? Corpo? Voz?)

4- Avaliação (Quais serão as formas de avaliação? Prova? Seminário? Durante as aulas, observando a resposta positiva ou negativa do aluno durante as atividades?)

Esses são os procedimentos básicos de um planejamento.

Eu sempre faço, durante um ano, dois planejamentos semestrais (Planos de Ensino) e os subdivido de acordo com minha necessidade. Notem que o Plano de Ensino é apenas uma linha-guia para o professor. É necessário SIM planejar aula a aula, principalmente para quem trabalha com Musicalização Infantil. Na Musicalização, toda aula tem que ter atividades novas, senão os alunos perdem o interesse.

Sugiro que o Plano de Aula seja feito mensalmente. Como nem tudo que a gente planeja funciona perfeitamente como planejamos na nossa "mente brilhante", às vezes (quase sempre) é necessário mudar o rumo da aula, e por isso, se você tiver feito planos de aula para o ano todo, meu amigo, minha amiga... você perdeu o trabalho.

O importante é que o professor saiba que o Plano de Ensino e o Plano de Aula não precisam ser roteiros engessados e deus-que-me-livre fugir desse roteiro. Flexibilidade é necessário viu gente? E a gente sempre faz o próximo plano pensando no resultado que tivemos na primeira avaliação. Ela também é nossa linha-guia, não adianta passar pra frente, se o aluno não interiorizou o conteúdo.

DICA: Em uma aula de Musicalização Infantil, apresente primeiro sempre a atividade nova, pois logo no começo da aula é a hora que as crianças estão mais atentas. Deixe para revisar conteúdos aprendidos nas aulas anteriores mais para o fim da aula.

No próximo post eu coloco um exemplo de plano de ensino.

Até breve.